10 novembro 2010

Demasiadamente

Contado por Nana Maia às 16:45
Reações: 
Chove demasiadamente,
Faz calor demasiadamente,
Ama-se demasiadamente,
Demasiadamente esquece-se o amor.
Trabalha-se demasiadamente,
Irrita-se por demasiado,
Enlouquece-se demasiadamente também.
Respire, inspire, olhe e retire, absorva, reflita
calmamente.
Vive-se demasiadamente, rápido
Que nem som se ouve, nem nada se vê, 
nada se sente.
Importante é
O fim está sendo demasiadamente apressado a chegar
E o prazo para observar a folha do outono cair...
Já não há. 

0 Contos:

Postar um comentário

 

Contos de M.Maia Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos