12 novembro 2010

Doce, doce, doce...

Contado por Nana Maia às 12:43
Reações: 
“Existe doce mais doce,  que o doce de batata doce?” Indaga um antigo trava língua. Pois eu respondo a ele “Existe sim, o doce mais doce é o algodão doce.”

Hoje revivemos a infância, a buzina do vendedor de algodão doce soava apenas em nossas cabeças, mas o sentimento de nostalgia tomou a todos. Conjugo o verbo da quarta pessoa pois não fui apenas eu a comer desta guloseima, que adocica até o cérebro e devolve a glicose até mesmo á bêbado em coma alcoólico.
Diga você, ao que se compara comer algodão doce...? A nada exatamente. 
A sensação deixada no início e no fim, só ele deixa. Comparando-se talvez ao amor, que no início é doce, suspirante, delicado e que no fim te deixa com uma sensação estranha. 
O fim é sempre estranho.
Mas para quem quer apenas saboreá-lo e para quem tem uma imaginação muito fértil como a minha, com certeza já o comparou à nuvem.
Quando alaranjado, são as nuvens banhadas pelo sol do amanhecer, quando rosados o sol ao entardecer, enfim, o fato é que parece nuvem.
Pois deixo você leitor com a sensação do açúcar a arranhar a língua e a deixar suas papilas gustativas com diabetes e mesmo assim não conseguir resistir à tentação de saborear um delicioso e colorido algodão doce. 

0 Contos:

Postar um comentário

 

Contos de M.Maia Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos