12 janeiro 2011

A procura do verbo Ser

Contado por Nana Maia às 09:58
Reações: 
O olhar para dentro, talvez seja a atividade mais difícil do ser humano.
Talvez eu, flexível como um prego, consiga fazer a posição de lótus do yoga com menos dificuldade do que olhar para dentro de mim mesma, enxergar meus erros e defeitos.


Sofrer é muito difícil.


Quem eu sou? Quem eu fui? Quem eu serei?


Creio eu, na minha ignorância, que sou alguém que busca o melhor de si, que erra e se arrepende e que ama de todo o coração. Sou uma peça de argila girando entre as mãos do artesão, se moldando e se aperfeiçoando.


Ser. 


Difícil definir este verbo. Não podemos ser definidos por uma palavra pois vivemos, e cada dia é um dia e não podemos agir sempre da mesma forma, frear os pensamentos e nem sempre pensar antes de falar.


Mas podemos pesar se o melhor de nós prevalece e tentar viver sem nos decepcionarmos demais com nós mesmos. Saber pedir perdão. Saber demonstrar o afeto. Lembrar que ninguém tem culpa de nossos problemas e cativar sendo honestos com nós mesmos e com os outros.


Sei apenas, que sou um ser em constante mutação.
"Somos todos pontas de icebergs, só deixamos amostra parte do que somos."
Martha Medeiros

0 Contos:

Postar um comentário

 

Contos de M.Maia Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos